terça-feira, 19 de maio de 2009

Categoria unida

A companheirada do transporte é soda como diria o Fócrates. Os caras não têm medo e páram tudo mesmo. Classe unida é assim mesmo. Ok, nós passageiros é que vamos pagar a conta no final desta greve dos motoristas e cobradores de Florianópolis. Mas não consigo não me entusiasmar com o "poder da massa". Romantismo, utopia, eu sei. Mas a mobilização de uma classe trabalhadora - e eu nem sou socialista ou comunista - sempre empolga.

Foto: Alessandro Bonassoli

Estacionamento: Visão "aérea" da greve

Isso me faz lembrar do velho sonho de uma greve geral, ampla e irrestrita da categoria dos jornalistas catarinenses. Mesmo não trabalhando mais em redação, ainda creio na paralisação dos profissionais como única forma de se conseguir uma negociação decente com as empresas de comunicação de Santa Catarina. É, isso nunca vai acontecer, eu também sei. Mas sonhar continua sendo gratuito.

2 comentários:

Marco Antonio Zanfra disse...

Jornalistas unidos? Ora, Magoo, somos a classe mais desunida entre todas as desunidas. A união exige conciliação e humildade. E os jornalistas são o exemplo do oposto: vaidosos, donos da verdade, sectários e arrogantes. Não dá liga.

Josemar disse...

Meu sonho, Bonassoli, não é nem uma greve geral. Bastaria uma paralisação de 10 minutos.