sábado, 8 de novembro de 2008

O que nos resta em 2008

A vitória de 2 a 1 do Internacional sobre o Boca Juniors não foi assim "épica" como muitos vêm dizendo. Sou Colorado, mas "pé no chão" é algo salutar. Derrotamos o melhor time da América do Sul duas vezes, mas era a equipe reserva deles. No confronto de ida, em Porto Alegre, foi uma dificuldade imensa. Agora, é óbvio que estou comemorando. Afinal, qual foi o último clube brasileiro que derrotou o Boca na Bombonera? Cartas para a redação...

Crédito de Foto: Alexandre Lopes/VipComm/Divulgação

Quase xará: D´Alessandro leva pânico à zaga rival

E derrotar argentinos não tem preço. Ainda mais um clube da magnitude do Boca Juniors, o maior "bicho papão" de títulos no continente. Um dos destaques alvirrubros foi meu quase xará, D´Alessandro, que jogou com um ânimo a mais. Afinal, é cria do River Plate, rival do time azul e amarelo. Este gringo joga muito e foi um dos poucos acertos da diretoria colorada no ano.

Enquanto isso, "eles" estão tentando descobrir o que deu errado, como estão perdendo o título brasileiro que estava "garantido". O Inter vai às semifinais encarar o Chivas, time mexicano com nome de whisky. Meu time ainda não me convence. Sou sempre muito pessimista, afinal foram quase duas décadas de sofrimento constante. Mas que venha o título, pois é o que nos resta em 2008. O clube iniciou a temporada como um dos grandes favoritos à conquista do Campeonato Brasileiro e naufragou no meio do caminho. Decisões equivocadas na hora de vender e comprar jogadores, a contratação de um técnico irregular - nem vou levar em conta o fato do cara ser ligado à "eles" - criaram um time apático, insosso, burro. No papel, um elenco ótimo, na prática, um grupo pior do que muito clubinho de segunda categoria.

Críticas e lamentações prá lá, que venham os mexicanos!

Um comentário:

Fausto disse...

Acho que foi o Paysandu o último a ganhar lá, não foi?