sábado, 20 de outubro de 2007

Orquestra metal

Meu xará, titular do blog Dogman, mencionou que também não ando mais falando sobre música. É vero. Acho que ter aumentado consideravelmente minhas colaborações para a revista Rock Hard Valhalla pode ser uma explicação. Quando se começa a tratar muito de um assunto, vem o cansaço e o tédio.

Falando na Rock Hard, na próxima edição, que já deve estar nas bancas, tem uma entrevista que fiz com o Toxik, um dos melhores grupos do thrash metal norte-americano. Uma daquelas que, apesar da qualidade, não alcançou o patamar de popularidade mundial que o "quarteto fantástico" do estilo - Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax - conseguiu até mesmo na mídia mainstream.

Na edição seguinte, já tenho duas páginas garantidas com outra entrevista. Desta vez com o Overdose, um dos grupos pioneiros do rock pesado nacional. Não posso negar que sempre fui fã da banda mineira, desde que ouvi "Século XX", o split-álbum que os lançou juntamente com o Sepultura. Por coincidência, nos dois casos, consegui o que nós jornalistas sempre procuramos, "furar" a concorrência. Graças ao espetacular mundo do MySpace, descobri que tanto Toxik quanto Overdose estão retomando as atividades após anos no estaleiro.

Ops! O post não era sobre isso. Me perdi fazendo uma publicidade para a revista. : )

A idéia era comentar um álbum que descobri por acaso. Mais um da série "heavy metal em versão música clássica". Creio que na fase antiga deste blog até citei o Apocalyptica, o grande precursor do estilo, e um tributo ao Iron Maiden tocado em piano. Desta vez trata-se de "The Hand Of Doom Orchestra Plays Iron Maiden´s Piece Of Mind".

Novamente, a maior banda de heavy metal de todos os tempos é objeto de desejo de musicistas dedicados à música clássica. Não gostei tanto quanto curto o Apocalyptica, que iniciou gravando versões para faixas do Metallica, depois incluiu Sepultura e Faith No More e acabou criando canções próprias para seu repertório.

Prefiro o trabalho destes finlandeses pois é... pesado. São quatro violoncelos e peso, muito peso. A Hand of Doom Orchestra fez um remake de "Piece Of Mind", um clássico absoluto, indiscutível e quase insuperável do Iron Maiden. Ficou bonito, coisa e tal, merece uma audição, certamente. Mas para os fãs da Donzela de Ferro não acrescenta tanto. Acho que tem mais validade para ouvidos leigos e/ou preconceituosos. Àqueles que acham que música precisa ser pop, dançante, rebolativa, grudente aos ouvidos e totalmente descartável (nem vou perder tempo citando nomes de artistas destas linhas, vocês sabem a quem me refiro).

[Ouvindo: The Hand Of Doom Orchestra - Still Life - Álbum: Piece Of Mind]

2 comentários:

Dogman disse...

Ah, mas os que acham que música precisa ser pop, dançante, rebolativa, grudente aos ouvidos e totalmente descartável, esses nem merecem ler os posts do teu blog. Sem contar que mau gosto musical é um defeito quase impossível de se consertar.
Onde é que dá pra ouvir sem precisar comprar o CD e sem apelar pra pirataria, xará?

Fausto disse...

Como em qualquer disco tributo, algumas ficaram excelentes e outras fracas... "Flight of Icarus" ficou ótima, "Quest for Fire" pareceu música de fanfarra...